Cirurgia

Cirurgia Oral Menor

Com Clínico Geral

​Na Clínica Odontológica Dr. Wellington Vasques, toda cirurgia é realizada por cirurgiões dentistas experientes.

Utilizamos material da melhor qualidade, fabricado com tecnologia de ponta. Temos um compromisso com a qualidade do seu sorriso.

Indicações


Há diversos tipos de procedimento, tais como: Remoção de Cistos, Biópsias, Remoção de freio labial, Remoção de freio lingual, Remoção de dentes inclusos ou impactados e Remoção de Dentes Simples.

Bichectomia

O que é a Bichectomia?​

A bichectomia é uma cirurgia em que há a retirada total ou mesmo parcial de duas bolsas de gorduras presentes uma em cada lado da boca, entre o maxilar e a mandíbula, chamadas de "bolas de Bichat". A finalidade da bichectomia é puramente estética: reduzir o volume da parte de baixo do rosto.

 

Pré-requesitos para fazer a cirurgia

Antes de tudo é importante que seja feita a avaliação clínica pelo profissional que executará a cirurgia, para que ele possa avaliar se há indicação e quais são as expectativas da paciente quanto ao tratamento.

Depois disso, por ser uma cirurgia, é importante que o paciente faça os exames pré-cirúrgicos, para ver se ele está em condições de saúde para realizar a cirurgia.

 

Como é feita a cirurgia?

A  Bichectomia e pode ser feita com anestesia local, com ou sem sedação. A incisão é por dentro da boca, sem cicatrizes aparentes, e o procedimento dura em torno de uma hora.

 

Pós-operatório

 O pós-operatório da bichectomia é simples. O processo de recuperação é muito semelhante à extração de um dente do siso. O inchaço é variável de indivíduo para indivíduo, mas normalmente dura em torno de uma semana, sendo mais intenso nos 3 primeiros dias.
Nessa primeira semana, o ideal é fazer um repouso relativo, evitando esforço físico e exposição ao sol.  

 

Se eu emagrecer, essa gordura não some sem eu precisar fazer a cirurgia?

A Bola de Bichat é uma das últimas gorduras a serem consumidas pelo organismo. Ela só diminui quando o indivíduo já queimou praticamente todas as outras.

Ancoragem com placas e miniplacas de titânio para a Ortodontia

A utilização de placas de titânio para ancoragem esquelética, auxilia e possibilita a liberação de forças leves e constantes, com a finalidade de tratar os mais variados tipos de má oclusão em Ortodontia.

O controle de ancoragem é um dos maiores desafios na especialidade, principalmente pela dificuldade em conter movimentos indesejáveis nas unidades de apoio. Assim, a utilização de ancoragem esquelética, facilitou e agilizou os tratamentos ortodônticos. Procedimento relativamente simples, obentendo um ponto fixo e imóvel dentro da cavidade bucal, o qual auxilia a movimentação ortodôntica e evita o deslocamento da unidade de resistência. Sendo assim, as placas de titânio e mini implantes ortodônticos têm sido grandes aliados nos tratamentos ortodônticos mais complexos.

 

Tanto as miniplacas como as placas de titânio apresentam várias vantagens, se instaladas da maneira correta, apresentando alto índice de sucesso e sistema de ancoragem muito confiável, que permite grande previsibilidade na movimentação ortodôntica. As miniplacas proporcionam obtenção de movimentos complexos, com mínima dependência da colaboração do paciente, além de permitirem o tratamento de determinadas más-oclusões esqueléticas, que antes só seriam manejadas com cirurgia ortognática. Além de propiciar caminho alternativo para casos insatisfatórios, como falha ou perda de ancoragem, auxilia na execução de trabalhos de difícil efetivação, ou até mesmo insolúveis, como intrusão de molares superiores e verticalização de molares inferiores.

A grande vantagem no uso de miniplacas é justamente o êxito em se alcançar ancoragem máxima, permitindo movimentações complexas e difíceis de serem controladas e executadas, quando comparadas aos aparelhos convencionais.

Mas, quando indicar?

A ancoragem com miniplacas pode ser utilizada em casos de sorriso gengival, correção de protrusões dentárias, mordida profunda, desvio da linha média dentária, dentre outros. Esta técnica permite realizar movimentos dentários não executáveis previamente, ou que demandariam muito tempo para tal.

PRF e PRP na Odontologia

O Plasma Rico em Plaquetas (PRP) é utilizado há cerca de 20 anos com o objetivo de acelerar a cicatrização e a regeneração óssea resultantes de procedimentos cirúrgicos. O plasma é obtido através da centrifugação do sangue e resulta em uma alta concentração de plaquetas em um reduzido volume plasmático. Os fatores de crescimento que compõe essa substância atuam como moléculas de adesão celular nos processos de migração epitelial, osteoindução e na formação de matriz óssea no tecido conjuntivo.

A coleta do sangue geralmente é retirada do próprio paciente. O professor e doutor em Implantodontia, Marco Pontual, explica a importância do procedimento autólogo. "Devido ao risco de rejeição ou à impossibilidade de secreção de fatores de crescimento ativo, o material coletado deve ser sempre do próprio paciente. A manipulação do sangue durante a centrifugação deve ser realizada de forma cuidadosa, na rotação adequada, para assegurar a separação das células plaquetárias umas das outras e para evitar ruptura ou danos à sua membrana".

Fonte de fatores de crescimento, o PRP é o mais utilizado em enxertos ósseos, pois oferece as duas principais substâncias envolvidas no reparo desse tipo de tecido: PDGF e TGFβ. Por isso, seu uso na Odontologia é direcionado especialmente em situações que apresentam menores chances de sucesso em enxertos ósseos, osseointegração, cirurgias periodontais e maxilofaciais. Os casos tratados possuem cicatrização mais rápida da mucosa e do enxerto e aceleração da regeneração óssea nas regiões de implantes.

Fibrina Rica em Plaquetas (PRF)


A Fibrina Rica em Plaquetas (PRF) é um subproduto da obtenção do Plasma Rico em Plaquetas.

De acordo com Aziz Constantino, professor e mestre em Odontologia, o PRF foi desenvolvido para aumentar a velocidade da reparação em enxertos ósseos e tecidos moles. "Através da mudança de parâmetros no processo de decantação do plasma, conseguiu-se o enriquecimento na quantidade de fibrina. Essa experiência gerou um grande e reprodutível aumento na velocidade e na intensidade da vascularização dos tecidos, resultando no aprimoramento dos resultados reconstrutivos".

Por conta das propriedades hemostáticas, adesivas e cicatrizantes do plasma de fibrina, seu uso tornou-se decorrente em cirurgias torácicas, cardiovasculares, neurológicas, oftálmicas, reconstrutivas e odontológicas. A função da Fibrina Rica em Plaquetas é promover essencialmente a adesividade entre tecidos, permitindo então que o processo de regeneração seja acelerado. Sendo assim, o seu uso é excelente para a regeneração dos tecidos moles.

A Fibrina Rica em Plaquetas e o Plasma Rico em Plaquetas podem ser usados tanto isoladamente como em associação em uma mesma cirurgia. Alguns profissionais indicam usar o PRP misturado ao material de enxertia óssea aplicado no local da cirurgia e, depois, utilizar o PRF sobre as suturas para conduzir e manter melhor os tecidos incisados em uma íntima união.

Apoio:

Agende sua consulta pele telefone 3301-1147

Clínica Odontológica Dr. Wellington Vasques

​Avenida Vicente de Carvalho, 1086 - rua 3, casa 14                                                    

Vila da Penha, Rio de Janeiro - RJ

clinicavp@hotmail.com

 
Central de Atendimento: (21) 3301-1147(21) 3459-8973​ / (21) 3301-1271​    WhatsApp: (21) 96715-5131